Lugar à Cultura


“José Afonso não foi só um cantor. Foi um homem com princípios e um exemplo de cidadania”
9 de Março de 2010, 21:07
Filed under: Música, Poesia

«80 Anos de Zeca», assim se chama o movimento constituído em 2009 para celebrar oito décadas de José Afonso. Uma iniciativa que partiu do Núcleo Norte da Associação José Afonso (AJA-Norte), mas que depressa passou a ser de um colectivo de instituições e de alguns particulares que subscreveram o Manifesto e têm vindo a realizar os mais diversos eventos. O movimento teve início no dia 1 de Agosto de 2009, com uma conferência de imprensa, na Associação de Jornalista e Homens de Letras do Porto, e a inauguração da Banca do Zeca, no Clube Literário do Porto.

Paulo Esperança, da direcção nacional da AJA e membro da AJA-Norte é um dos responsáveis pela criação deste movimento e é com satisfação que fala nos mais de 80 subscritores que assinaram o Manifesto e se juntaram a esta grande festa que tem sido o movimento «80 anos de Zeca».

Os eventos têm acontecido um pouco por todo o País “desde Almada até Ferrol, em Santiago de Compostela”, contou-nos Paulo Esperança, durante a conversa no «Lugar à Cultura» em que aceitou participar.

É com tristeza e com um tom crítico que Paulo Esperança aponta o dedo à Câmara Municipal do Porto por não se associar a esta celebração “é lamentável a Câmara do Porto não se associar a este movimento, quando a iniciativa foi abraçada por instituições como o Clube Literário do Porto, a Fundação José Rodrigues, a Cooperativa Árvore, entre tantas outras”.

Desde cantorias, exposições, sessões de poesia têm sido muitos e bastante diversificados os eventos que têm assinalado estes 80 anos de Zeca Afonso.

A Galiza também tem marcado uma forte presença nesta celebração com a realização de algumas iniciativas, de forma a perpetuar o carinho que José Afonso nutria por aquela região espanhola e vice-versa.

A par de tudo o que tem acontecido e de muitos outros eventos agendados, está a decorrer a construção de um painel, intitulado «Puzzle», inspirado em textos e músicas de Zeca Afonso, o qual está a ser levado a cabo por jovens estudantes. Sim porque as escolas também se têm envolvido neste projecto. A Escola da Ponte, inclusive, faz parte do núcleo de instituições que desde a primeira hora subscreveram o Manifesto e aceitou participar nesta comemoração.

O encerramento do movimento «80 Anos de Zeca» será no próximo dia 2 de Agosto e terá lugar em Guimarães. “Vai acontecer um ‘happennig’. Ou seja, ao longo do dia vão acontecer diversas iniciativas como concertos, malta a pintar, entre muitas outras coisas. E teremos um carro alegórico que participará nas marchas gualterianas”, acrescentou Paulo Esperança. Para ouvir os dez primeiros minutos desta conversa clique aqui.